Como ser um filatelista

Filatelista

Os selos postais constituem uma montra gigante para o mundo e é através desses pequenos fragmentos que um filatelista alarga os seus horizontes, conhece outros países e novas culturas, sem ter a necessidade de sair da sua própria casa. Saiba como ser um filatelista e conheça o significado desta paixão que atrai milhares de pessoas.

Porque ser um filatelista

Existem várias razões que motivam uma pessoa a dedicar-se ao filatelismo e uma das mais fortes passa pela vontade de decifrar o que um selo postal significa. Um selo postal tem um ordenamento lógico e cabe ao filatelista descobrir o que a conjugação dos seus elementos quer dizer. Os elementos apresentados podem ser reflexo de uma determinada época, acontecimento ou região histórica, podem ter uma imagem ou motivo de edição comuns, utilizarem o mesmo processo de impressão, entre outras significações possíveis.

Nesse sentido, a filatelia não é apenas um passatempo que leva uma pessoa a colecionar selos postais, é sim uma paixão que necessita de ser constantemente alimentada e atualizada e isso só está ao alcance da vontade e determinação de alguns indivíduos.

Os aspetos a ter em conta para ser um filatelista

Para ser um filatelista, existem determinados aspetos que deve ter em consideração, como por exemplo:

O prazer pelas coleções: Para todas as pessoas que já passaram por uma experiência colecionista (berlindes, bonecas, calendários, entre outros) e gostaram dessa sensação, o filatelismo poderá ser a atividade ideal. A possibilidade de conhecer o mundo através dos selos é uma forma de conhecimento que proporciona tranquilidade, paz de espírito e uma enorme alegria interior. Trata-se de um prazer único e pessoal que proporciona ótimos momentos de lazer e recreação.

A vertente económica: O fator económico é uma das condicionantes a ter em conta ao dedicar-se ao filatelismo. É necessário dispor de uma capacidade financeira aceitável para a aquisição de peças filatélicas e materiais indispensáveis à observação, organização, conservação e apresentação de selos postais. Existem coleções que podem ser muito dispendiosas, uma vez que obrigam a um elevado investimento e outras que podem ser acessíveis e adquiridas a preços normais.

Os regulamentos filatélicos: Trata-se de um dos aspetos mais importantes que um filatelista deve ter em conta. Quando se dá início a uma determinada coleção, um iniciante a filatelista não atribui grande importância aos regulamentos filatélicos, nem sabe que eles existem. No entanto, o problema levanta-se quando é chegado o momento de divulgar a sua coleção, participar em exposições ou em competições. Para que as ações de um filatelista sejam corretas e legais, ele necessita de conhecer as normas existentes que estão disponíveis na Federação Internacional de Filatelia (FIP). Das normas principais, um filatelista deve conseguir responder aos itens seguintes:

  • Conhecer o tipo de colecionismo em que a sua coleção se insere;
  • Entender e explicar todos os pormenores sobre a organização de uma coleção pessoal;
  • Compreender a importância e o significado histórico de todos os elementos constitutivos de um determinado selo e qual a sua composição;
  • Quais são os elementos que devem integrar ou não uma determinada coleção.

Os tipos de coleção: Existem dois tipos de coleções postais que um filatelista pode realizar: as coleções tradicionais e as coleções modernas.

De uma forma geral, as coleções tradicionais são compostas por todos os selos de todas as taxas das respetivas séries e são colocadas pela ordem cronológica de emissão e de valores.

Por outro lado, as coleções modernas indicam que o material filatélico é escolhido em função do tema e do plano de desenvolvimento desse mesmo tema. Dividem-se em dois grandes subgrupos: as coleções temáticas e as de assuntos ou motivos específicos.

Os tipos de filatelia: Dentro da classe filatélica existem diferentes modalidades de colecionismo de selos e um filatelista deve escolher aquela que se identifica mais com a sua coleção. Este é um dos requisitos exigidos pela FIP, caso um filatelista pretenda mostrar a sua coleção ao público. As classes existentes são: Filatelia tradicional, Filatelia temática, Inteiros postais, Selos fiscais, História postal, Literatura filatélica, Aerofilatelia, Astrofilatelia, Filatelia juvenil e Filatelia moderna.

A filatelia é assim uma forma de prazer individual que é colocada ao serviço da cultura geral. A sua aprendizagem é um processo contínuo e a partir do momento em que uma pessoa se dedica à coleção de selos e de todos os seus elementos constituintes, sente-se mais preenchida e realizada.

A sua votação: